30 de out de 2009

COMO OS "NOSSOS" PAIS???

O caso que aconteceu a uma garota na Universidade Bandeirantes UNIBAN de São Bernardo dos Campos (click) é apenas uma triste constatação do que se tornou os jovens classe média do século XXI.
Inseguros, confusos, querem tudo ao mesmo tempo agora, mas não conseguem pagar suas próprias contas, não leem, não sabem de nada do que acontece no mundo e nem mesmo  debaixo de seus próprios narizes.
Mas se orgulham de sair na noite e de beijar muitas bocas, não precisam usar camisinha porque AIDS é "coisa de viado", adorariam provar as "mulheres frutas", obviamente longe dos olhares das suas namoradas.
Pois eles se indignam com o vulgar quando estão acompanhados de seus pares.

"como uma "vagabunda" ousa dividir comigo o meu espaço intelectual? não, aqui não, aqui não pode."

Eu poderia repetir o que canta o poeta "eu não queria a juventude assim perdida..." 

Não,  isso não me causa pena, me causa medo, desespero, pavor.
Hoje eles jogam ovos de cima dos seus duplex, espancam travestis e queimam índios e mendigos.

Amanhã eles governarão o país, eles estarão no poder, nas grandes empresas, nos jornais, nas escolas e universidades, eles farão as leis, as aprovarão e as executarão.



28 de out de 2009

A história de Lily Braun

Como num romance
O homem de meus sonhos
Me apareceu no dancing
Era mais um
Só que num relance
Os seus olhos me chuparam
Feito um zoom

Ele me comia
Com aqueles olhos
De comer fotografia
Eu disse cheese
E de close em close
Fui perdendo a pose
E até sorri, feliz

E voltou
Me ofereceu um drinque
Me chamou de anjo azul
Minha visão foi desde então
Ficando flou

Como no cinema
Me mandava às vezes
Uma rosa e um poema
Foco de luz
Eu, feito uma gema
Me desmilinguindo toda
Ao som do blues

Abusou do scotch
Disse que meu corpo
Era só dele aquela noite
Eu disse please
Xale no decote
Disparei com as faces
Rubras e febris

E voltou
No derradeiro show
Com dez poemas e um buquê
Eu disse adeus
Já vou com os meus
Numa turnê

Como amar esposa
Disse ele que agora
Só me amava como esposa
Não como star
Me amassou as rosas
Me queimou as fotos
Me beijou no altar

Nunca mais romance
Nunca mais cinema
Nunca mais drinque no dancing
Nunca mais cheese
Nunca uma espelunca
Uma rosa nunca
Nunca mais feliz.




Chico buarque